Newsletter
Notícias

No Pará, cooperativas recebem apoio para diversificar produção

06/06/2018

Cooperativas que atuam com a criação de peixes e produção de borracha participaram de reunião no Centro de Governo do Baixo Amazonas, na tarde desta segunda-feira (4), para discutir os projetos de diversificação e ampliação da produção relacionados às suas atividades. Os projetos foram apresentados à Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), para viabilizar assistência técnica e, também, ao Núcleo Regional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), visando à melhoria da produção.

A partir de 2017, por interesse de seus associados, a Sociedade Cooperativa dos Aquicultores do Tapajós (Coopata) deu início a uma prospecção sobre a produção e comercialização de peixe (pirarucu e tambaqui). De acordo com o presidente da cooperativa, Manoel Lira Rego, a busca por parcerias, principalmente com o Governo do Estado, vai permitir viabilizar a implantação de projetos de tanques-rede ao longo do Rio Amazonas.

A Coopata possui hoje 26 cooperados com criação coletiva em tanque (três hectares), com dois laboratórios de reprodução, produção de alevinos de pirarucu e produção anual de aproximadamente 80 a 90 toneladas de pescado.

“Estamos buscando apoio no sentido de resolver um de nossos grandes gargalos, que é a instalação de uma fábrica de ração, e ver de que forma poderíamos avançar, em parceria com o Estado. Hoje estamos atuando na comunidade Palhal do Una, no município de Mojuí dos Campos. Lá nós temos três hectares de lâmina da água, já tivemos a primeira despesca e estamos em processo de finalização”, explica o presidente da Coopata.

Borracha

Na área agroextrativista, de produção da borracha, a Cooperativa dos Trabalhadores Agroextativistas do Oeste do Pará (Acosper), com 150 sócios, distribui-se em um espaço de grandes territórios, como a Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (Resex Tapajós-Arapiuns), com 6.476 km², e o Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Lago Grande. A Acosper reúne 30 comunidades e atua junto aos produtores agroextrativistas nas etapas de produção e comercialização dos produtos da agricultura e do extrativismo.

Com o objetivo de inovar o modo de produção da borracha natural e diversificar alternativas de uso do látex de seringueira na região do Tapajós, a cooperativa, em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) e com o Instituto de Estudos Integrados Cidadão da Amazônia (Inea), está com um projeto de retomada do extrativismo do látex de borracha natural na região do Tapajós, com base em novas tecnologias, que permitirão a sustentabilidade da atividade e sua competitividade assentada em qualidade e, como produto da sociobiodiversidade amazônica.

A Coordenação de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas está atuando em conjunto com a Emater e a Sedap garantindo apoio em assistência técnica e melhoria do processo para fomentar a produção. Os projetos técnicos serão elaborados com apoio da Emater para que possam ser beneficiados com incentivo financeiro de instituições de fomento ao crédito rural.

Governo do Pará