Newsletter
Notícias

Cooperativa quer tornar cidade modelo de reciclagem

17/08/2018

Os tempos realmente estão mudando e a palavra reciclagem, até alguns anos desconhecida, entrou no cotidiano das pessoas. Em Porto Calvo, uma associação está querendo inserir essa palavra na vida dos habitantes e fazer história. É que os associados da Cooperativa Alagoana dos Catadores de Materiais Recicláveis do Litoral Norte (Coopernorte) pretendem transformar o histórico município em uma cidade modelo de reciclagem no Estado de Alagoas.

Presentes somente há um mês na localidade, eles já sonham alto e colhem os primeiros frutos. A cooperativa, que surgiu em Japaratinga há seis anos, chegou a Porto Calvo no mês de julho e começou a realizar um trabalho inédito e pioneiro. Alugaram um grande galpão no centro da cidade para juntar os materiais e revender para empresas sediadas em Maceió, Recife e agora também em Campina Grande, na Paraíba. Os cooperados também planejam vender matérias para cidades no Estado de São Paulo.

A presidente da Coopernorte, Ibelza Vanderlei Campos da Silva, de 43 anos, está muito empolgada com o novo projeto na cidade. “Estamos muito otimistas com o início do nosso trabalho em Porto Calvo. Queremos transformar a cidade em modelo para toda Alagoas e o Brasil. Estamos recebendo um grande apoio da prefeitura, que abraçou a nossa causa e vamos gerar muito emprego aqui na região”, frisou.

A Coopernorte começou com muitas dificuldades há seis anos em Japaratinga, mas atualmente os associados já conseguiram comprar o primeiro caminhão para a reciclagem e já conseguiram abrir uma filial em Porto Calvo. Eles conseguem recolher em média cerca de 500 quilos de material por dia na cidade.

Ibelza Vanderlei informou também que intermediou com a prefeitura de Porto Calvo uma capacitação com os garis do município e que vai fazer um trabalho de conscientização com os comerciantes e em todos os cerca de 10 mil domicílios da cidade. Eles reciclam materiais como: plástico, papelão, papel, vidro, metal, madeira, entre outros.

Tribuna Independente / Cláudio Bulgarelli