Newsletter
Notícias

Mais que recicladores, administradores de cooperativas

25/09/2018

Um projeto desenvolvido na UEL (Universidade Estadual de Londrina) está oferecendo capacitação gratuita para recicladores de cooperativas londrinenses. Os cursos são ministrados uma vez por semana na instituição e têm como objetivo promover o desenvolvimento profissional de jovens e adultos que trabalham com reciclável. A formação é dada por oito alunos bolsistas de diversos cursos da instituição, como jornalismo, administração, secretariado executivo, economia, artes visuais e direito. Três docentes fazem o acompanhamento. 

Por meio de atividades aplicadas em sala, uma vez por semana, os recicladores têm a oportunidade de compreender e aplicar técnicas relacionadas à organização de rotinas administrativas e secretariais.

O Empreendedorismo, Assessoria Executiva e Geração de Renda também é aberto para alunos de escolas, em especial àqueles que desejam o primeiro emprego, e público em geral que tem interesse de se qualificar por meio de cursos. A iniciativa surgiu em 2014 e cada vez mais tem ampliado sua frente de atuação. "No passado, quando se falava de cooperativa, era um sonho. Atualmente é uma realidade. Os participantes recebem informações sobre direito, técnicas secretariais, administração, empreendedorismo, estatuto social de cooperativa", explica Lisiane Freitas, coordenadora do projeto. 

Os ensinamentos são transmitidos aos participantes por meio de atividades aplicadas em sala, em que eles têm a oportunidade de compreender e aplicar técnicas relacionadas à organização de rotinas administrativas e secretariais. Eles aprendem a transformar os materiais recolhidos na reciclagem em produtos rentáveis, otimizando as habilidade manuais com oficinas práticas, e também orientação para precificação dos produtos que confeccionaram, além de incentivo nas estratégias de comercialização dos mesmos. 

DEMANDAS 

Segundo Freitas, que é docente do departamento de administração da universidade de Londrina, antes de começar o curso, o grupo foi até as cooperativas do município para saber quais eram suas demandas. "Vimos as dificuldades deles e montamos o que seria passado tendo isso como referência. Não chegamos e damos uma receita pronta. A aproximação ainda serviu para fazermos o convite. Durante o curso acabam aflorando conflitos que existem nas cooperativas e vamos buscando os entendimentos juntos", destaca. 

Atualmente, representantes de três, das sete cooperativas que atuam na cidade, estão participando da capacitação. "Temos pessoas que depois que participaram assumiram postos maiores dentro das cooperativas, indo para a administração, cuidando da organização de eventos. Eles se atentam à questão de documentação, criam arquivos em ordem alfabética, respeitam nome de arquivo", elenca. Como o aperfeiçoamento é por módulos, interessados que não participaram dos cursos ministrados anteriormente podem estar presente nos próximos, sem custo. A capacitação deste ano teve início em agosto e segue até dezembro. 

APRENDIZADO 

Apesar de serem os responsáveis por ministrarem o curso, os estudantes bolsistas encontram na experiência uma maneira de aplicar na prática a teoria, com a vantagem de colaborarem para o crescimento profissional e pessoal dos participantes. É o caso de Carlos Henrique Fiorato de Andrade, que está no segundo ano do curso de economia. Ele trabalha sobre geração de renda a partir de produtos, empreendedorismo e finanças. 

"Buscamos atender à necessidade de cada cooperado, compartilhando a aprendizagem. Interessante que eles trazem suas realidades. Consigo trabalhar com a comunidade de uma maneira de diferente com o projeto de extensão, que talvez em um estágio não conseguiria, pois é muito privado. A reciclagem é muito importante para a sociedade atual", valoriza. 

O projeto Empreendedorismo, Assessoria Executiva e Geração de Renda também ministra minicursos em escolas de ensino médio que se interessam em ter acesso ao conteúdo. O mesmo acontece com cooperativas que querem explanação mais detalhada sobre um assunto específico. "Nós vamos, damos aula de fotografia, vídeo, falamos sobre a comunicação interna, porque muitas cooperativas dizem ter dificuldade nisto. Comunicação não verbal, cooperativismo, insubordinação, estão entre os assuntos", relata a estudante Maria Caroline Heitor Monteiro, que está no segundo ano de jornalismo. 

SERVIÇO 

Quem quiser participar do projeto ou ter acesso aos minicursos pode entrar em contato com os responsáveis pelo e-mail lisiane@uel.br .

Folha de Londrina