Newsletter
Notícias

Cooperativas argentinas visitam Índia e Vietnã

18/02/2019

Um grupo de oito cooperativas argentinas farão parte da missão de negócios e investimento que o governo argentino realizará nessa semana na Índia e Vietnã.

Ariel Guarco, presidente da Aliança Cooperativa Internacional e da Confederação Cooperativa da República Argentina (Cooperar), será responsável pela delegação composta por Agricultores Federados Argentinos, Associação de Cooperativas Argentinas, Banco Credicoop, Grupo Devoto, Fecovita, La Segunda, Cooperativa Obrera e Seguro Sancos. O secretário de Relações Internacionais da Cooperar, Carlos André Masilla, também estará com o grupo.

As reuniões com empresas da Índia e Vietnã serão realizadas no âmbito de visitas individuais do Estado pelo presidente argentino, Mauricio Macri, e visam à formação de parcerias estratégicas, transferência de tecnologia e criação de novos vínculos comerciais.

A missão fará a sua primeira parada na Índia. A primeira cidade a ser visitada é Nova Deli e depois Mumbai. As conversas com empresas indianas se concentrarão em produtos e tecnologias agroindustriais, biotecnologia, energias renováveis e mineração.

É um mercado com mais de 1,3 bilhão de pessoas, no qual a Argentina é a terceira origem das importações de produtos agroalimentares, com 9% das compras indianas e um aumento exponencial nos últimos anos.

Na quarta e quinta-feira, a delegação estará em Hanói, no Vietnã, onde as empresas argentinas buscarão estabelecer vínculos comerciais em áreas semelhantes e participarão de um Fórum de Negócios, no último dia.

O Vietnã, é um mercado de 93 milhões de pessoas, abastecido principalmente pelos Estados Unidos, Argentina, Brasil, Austrália e China. A Argentina é a segunda origem de importações vietnamitas de produtos agroalimentares (11,3%).

A delegação cooperativa também realizará reuniões com os atores mais importantes do setor cooperativo em cada país. Guarco, que já esteve na Índia no início de 2017, dias antes de ser eleito presidente da ACI, agora o fará como líder do movimento cooperativo global.

Redação EasyCOOP com informações da COOP Américas