Newsletter
Notícias

"Cooperativa oferece os mesmos serviços de um banco. Só que é um banco nosso"

09/03/2020

Maior sistema de cooperativismo de crédito de Santa Catarina, o Sicoob Central SC/RS atingiu a emblemática marca de 1 milhão de associados em 31 de dezembro do ano passsado. O presidente da central, Rui Schneider da Silva, revela que no dia histórico o sistema fechou com 1.000.351 associados. Atualmente, já são mais de 1,010 milhão de participantes.

Na cooperativa de crédito, o associado é o dono do banco, conta com serviços bancários a custos mais baixos do que das instituições comerciais e tem atendimento personalizado nas agências. A projeção para este ano é crescer 15%, com a participação de jovens e de agências digitais dentro das agências físicas. Confira a entrevista de Rui Schneider a seguir.

1 milhão de associados

“Para mim, que iniciei em 1984 junto com o Sicoob, representa muito esse número de 1 milhão de associados. É uma satisfação muito grande. Na época, estávamos com 33 associados. A gente não imaginava chegar nesse ponto. Pensávamos que, se atendêssemos custeio agrícola e investimento agrícola, nos daríamos por satisfeitos. Acontece que, com o tempo, fomos ampliando, treinando pessoas, conhecendo outros sistemas, vendo o que os bancos estavam oferecendo e atendendo a solicitação do associado. Por isso estamos em 269 municípios. Esse associado entra, fica satisfeito e traz outras pessoas ao sistema. Por isso, atingir 1 milhão de associados é uma satisfação muito grande, é inexplicável.

Atendimento digital “Nosso último dado sobre atendimento digital é que 78% dos nossos associados utilizam serviços pela internet. Usando smartphone, notebook ou computador, o associado tem atendimento a hora que necessitar. Ele só vai na cooperativa quando precisa de algo que não dá para fazer pela internet. Por isso vemos que o engajamento do jovem no cooperativismo de crédito, no Brasil, está crescendo, apesar do avanço dos bancos digitais, de startups e tudo mais. Estamos procurando mostrar também para o adolescente que ficar no cooperativismo é vantajoso, tem todo serviço digital e o presencial, se precisar”.

Como se associar

- É muito simples. A pessoa chega na cooperativa e manifesta a intenção de se associar. É importante que pergunte como funciona a cooperativa porque temos pessoas preparadas para explicar isso. Ao abrir a conta, precisa fazer um depósito, a cota capital, que varia de R$ 30 a R$ 50, apenas para dizer que é sócio e é um dinheiro que fica na conta dela, rendendo. É informada que a cooperativa oferece os mesmos serviços de um banco, só que é um banco nosso. Nós somos os donos, controlamos, participamos das assembleias e podemos dar sugestões para melhorar os serviços”.

Dinheiro local

“Nós temos em torno de R$ 17 bilhões em ativos, que giram aqui no Estado. Tirando as operações de crédito, que estão em torno de R$ 9 bilhões e as reservas, temos ainda R$ 3,5 bilhões sobrando para emprestar para o associado. A cooperativa oferece uma gama de negócios que ele pode fazer. Até crédito imobiliário nós temos, embora não seja um recurso muito grande. O associado se sente satisfeito. Muitos só têm conta na cooperativa, não têm mais conta em banco tradicional porque na cooperativa ele vê toda a necessidade dele sendo atendida”


NSC Total - por Estela Benetti