Newsletter
Notícias

Cooperativa Acácia realiza 100% da coleta seletiva em Araraquara

01/07/2020

A Cooperativa Acácia de Catadores, Coleta, Triagem e Beneficiamento de Materiais Recicláveis de Araraquara – município paulista de 236 mil habitantes (na região central do Estado) – é modelo a ser estudado e seguido. Por meio de contrato com o Departamento Autônomo de Águas e Esgoto da Prefeitura, idealizado em 2006 e formalizado em 21/8/2008, a Acácia é responsável pela coleta, triagem, processamento e comercialização de recicláveis em toda a área urbana do município. Presta um serviço.

Comandada por um Conselho Administrativo, com cinco integrantes, a Acácia carrega a história de luta e superação de uma mulher, Helena Francisco da Silva, a presidente desse Conselho, hoje com 64 anos. Tudo começou em 2001. Aolado das mães que catavam recicláveis em meio ao lixo doméstico no aterro de Araraquara, Helena liderou, com apoio de órgãos da Prefeitura, a criação de um grupo de 35 catadoras e catadores. Em 2002, o grupo foi formalizado como Associação Acácia dos Trabalhadores de Materiais Reaproveitáveis, conquistando melhores condições de trabalho. Foi o embrião da cooperativa, idealizada em 2005 e formalizada em fevereiro de 2006.

A Acácia tem hoje 186 cooperados – 89% são mulheres e 11%, homens. Em torno de 100 cooperados trabalham na central de triagem. Os demais operam a coleta em 100% das ruas da cidade. Com exceção de dois bairros, São José e Santa Angelina, onde o caminhão passa duas vezes por semana, a coleta é semanal, com dia marcado, uma rotina que tem a adesão maciça dos moradores, em especial dos mais idosos. Há também à disposição 9 ecopontos, cada um comandado por um cooperado, para entregas espontâneas de reciclados. Além disso, a Acácia mantém acordos de coleta com mercados, supermercados e outros grandes produtores, mas pagando pelos recicláveis - e mesmo assim enfrentando a concorrência de grandes empresas.

Independentemente do volume de recicláveis, o contrato com a Prefeitura garante hoje à cooperativa R$ 240 mil mensais (76% do faturamento) pela coleta e separação – entre 500 e 600 toneladas mensais. O restante da renda (24%) vem da venda de recicláveis à indústria. Há acordos com a indústria de embalagens, incluindo a Tetra Pak. Os mais valiosos são alumínio e cobre, mas um quilo de latinhas, que chegou a valer R$ 4,00, rende hoje apenas R$ 1,50. O ISS recolhido sobre o faturamento é de 3%, dois pontos abaixo dos 5% impostos às cooperativas na cidade de São Paulo. A renda mensal de cada cooperado equivale a cerca de 1 salário mínimo. Além de garantir qualidade de vida aos cooperados, a Acácia tem como seu norte a sustentabilidade, geração de renda e preservação de recursos naturais. Tudo está baseado em premissas como liberdade de associação, solidariedade de ganhos e perdas, gestão democrática e representativa.

Redação EasyCOOP