Newsletter
Notícias

Entregadores querem criar uma cooperativa

27/07/2020

Com a pandemia da Covid-19, a desigualdade ficou mais evidente no Brasil, visto o que ocorre com os entregados por aplicativo (iFood, Uber Eats, Rappi, outros), que desde o inicio de julho estão fazendo protestos contra o baixo pagamento pelas corrias feitas. Qual a conclusão que esses trabalhadores chegaram? Vamos criar uma cooperativa. Isso que é apresenta na reportagem da BBC Brasil, com a repórter Mariana Schereiber.

No último sábado (25) em várias cidades pelo país os entregadores realizaram nova paralisação, menores em relação ao realizado em 1° de julho.

Parte dos entregadores pensaram em criar uma alternativa ao sistema vigente e desigual, que é criar uma cooperativa, com o seu próprio aplicativo de entrega e o melhor, sem o patrão que precisa do lucro.

"A luta não é só por melhoria dentro do aplicativo. Até porque muito foi refletido internamente de que lutar por melhoria dentro do aplicativo não resolve nossos problemas, né? Os donos de aplicativos querem encher o bolso de dinheiro, não querem de fato melhoria do trabalho do entregador", afirma Eduarda Alberto, entregadora do Rio de Janeiro que levou a ideia da cooperativa para dentro do movimento Entregadores Antifascistas.

Adotar a forma cooperativista é a maneira justa que esses entregadores podem ter, com melhores ganhos e a autogestão.

Na reportagem é citado que o processo para a criação de uma cooperativa não é tão simples, pois desenvolver um aplicativo para concorrer com os demais não é barato. A reportagem ao consultar descobriu que custaria cerca de R$ 500 mil para o desenvolvimento do aplicativo.

Mas os Entregadores Antifascistas não estão sós. Eles contam com apoio voluntário de advogados, economistas, programadores e estudiosos do cooperativismo de plataforma.

Confira a reportagem completa no site da BBC: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-53551592

Redação EasyCOOP com informações da BBC Brasil